Quarta-feira, 21 de Abril de 2010

Constatação n. 4

Sim. Tenho a prova verbal de que as pessoas aqui são diferentes. A culpa é da montanha.

Explico: Antigamente os salzburguenses viviam na montanha e por vezes era preciso dois dias de caminho a pé até se encontrar uma nova casa e pessoas diferentes. Era distância física e emocional. E parece que é assim até aos dias de hoje. Disseram-me inclusive que há pessoas que só ao fim de cinco anos começam a construir relações de amizade ou mesmo amorosas...

 

Isso é algo que para mim não dá mesmo e penso que no geral todo o povo português pensará o mesmo.

Isto surgiu-me porque andava a ficar meio "deprimida" porque aqui as pessoas não fazem convites, não convivem. E estou a falar de jovens. Fecham-se em casa com os namorados ou família, ou simplesmente preferem estar sozinhos. Esta dinâmica tem-me começado a fazer demasiada comichão nos últimos tempos. Eu por norma sou uma pessoa social. Não que seja de grandes parties e loucuras, porque é o oposto. Mas tenho um gosto especial por estar acompanhada, passar um bom serão a conversar com os meus amigos, ir a um café quer de dia quer de noite, passear. No fundo...conviver. E aqui as camadas mais jovens fazem isso. Eu vejo-os ao longo do rio com os seus skates, piercings e allstars, de cabelos cor de rosa, laranja ou mesmo verde... hippies, punks, indies, pessoas sem estilo defenido whatever... eles convivem! Mas a partir de uma certa idade (na qual infelizmente já me insiro) viram-se todos muito para dentro e fecham-se a sete chaves.

 

Sinto falta de Portugal. Sinto falta dos meus amigos, das nossas conversas estúpidas e sem nexo, sinto falta da família, dos cães que até eles me fariam mais companhia do que a companhia que tenho aqui actualmente. Sinto falta da minha cidade e de passear pelas suas ruas. Descobrir tudo novamente. Salzburg é uma cidade linda, com bastante oferta, extremamente romântica, um nível de vida bastante elevado, baixa criminalidade... mas eu não sei se conseguiria viver aqui sem ter esse tipo de conexões com ninguém. Uma vida sozinha, não é uma vida...é uma mera passagem por ela.

 

Peço desculpa. Era suposto ser uma curta constatação e acabou por ser mais um desabafo. Mas esta é a realidade. Se vierem cá e se forem o tipo de pessoa que gosta de criar amizades, façam por começar logo que cheguem...porque pode levar 5 anos :P

publicado por Botas às 18:31
link do post | comentar | favorito
|

No folclore europeu surgem recorrentemente umas botas mágicas que permitem a quem as use atravessar sete léguas de cada passo.

Nesta história, uma rapariga viaja de Portugal para Salzburgo, na Áustria, para iniciar a sua vida profissional. Calça assim um par de botas normais; a internet permite-lhe uma maior proximidade de casa.

São só 74 passos e meio de distância.

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 5 seguidores

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
17
19
21
22
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Vienna então

. E assim foi Vienna

. E está confirmado

. Domingo em Innsbruck

. Como se não bastasse...

. What a terrible, terrible...

. Novo começo

. Sábias palavras

. Eu queria ser ninguém

. Vou-me fartar de ver azul...

.arquivos

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009